Conteúdo

Você se preocupa com a qualidade do ar dentro do seu escritório?

Um estudo divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) mostra que 92% da população mundial vive em áreas com níveis de contaminação acima do recomendado. Segundo o IWBI – International WELL Building Institute, a poluição do ar é a número 1 das causas de mortalidade prematura com 7 milhões no mundo ou 1/8 das mortes prematuras global. No BRASIL são 41,7 mil mortes por ano.

A má qualidade do ar está associada a problemas de saúde como asma, alergias, dores de cabeça, câncer de pulmão, irritações de garganta, nariz e olhos, dentre muitos outros. A CETESB monitora de perto a qualidade do ar externo no Estado de São Paulo e você pode conferir nesse LINK.

Mas e a qualidade do ar dentro do seu escritório? Você sabe como ela está?

O ar interno das edificações pode ser degradado devido a má qualidade do ar externo e a baixa ventilação desses ambientes expõe as pessoas a presença de COVs (Compostos Orgânicos Voláteis), PAHs (Hidrocarbonetos Aromáticos Policíclicos), micróbios, particulados, ozônio, monóxido de carbono, dióxido de nitrogênio, dióxido de enxofre e UFA! Além disso, a baixa qualidade da ventilação permite que o ambiente seja ocupado pelo CO2. Sabe aquela dor de cabeça no fim do dia ou aquele cansaço extremo que não te deixa focar no trabalho? Prazer, CO2.

Mas o que podemos fazer para melhorar a qualidade do ar? Podemos juntar as mãos para o céu e rogar um “Livrai-nos do Mal” ou podemos adotar algumas boas práticas como:

  1. Monitorar e controlar a qualidade do ar interno utilizando equipamentos que meçam o CO2, ozônio, temperatura, umidade e particulados.
  2. Ter certeza que o seu sistema de ar condicionado tem renovação do ar e que a taxa de renovação atende a densidade de pessoas do seu escritório.
  3. Fumar dentro de ambientes fechados já é proibido por lei, contudo é preciso advertir as pessoas para que fumem longe de aberturas como portas e janelas e das tomadas de ar externo do sistema de ar condicionado.
  4. Ainda sobre a entrada de ar externo do sistema de ar condicionado, tenha certeza que o mesmo não está em local onde há passagem de veículos, perto de fontes contaminantes e que ele não esteja obstruído.
  5. Instalar filtros finos no sistema de ar condicionado para reter os particulados. (E não esquecer da manutenção).
  6. Fazer a limpeza periódica dos dutos do sistema de ar condicionado.
  7. Quando for fazer reformas ou reparos no escritório, utilizar produtos como tintas, colas, adesivos e selantes que tenham baixo COV – Composto Orgânico Volátil.
  8. Fazer inspeções periódicas nos ambientes para verificar a presença de mofo e controlar a umidade internamente para que fique entre 40% e 60%.
  9. Ter um bom capacho na entrada do edifício e/ou escritório para que as pessoas não levem a sujeira da rua para dentro dos ambientes.
  10. Utilizar produtos de limpeza e pesticidas menos agressivos para a saúde humana.
  11. Ao abrir a janela do escritório, ter certeza que a qualidade do ar externo está boa e não contaminará os ambientes internos.

São procedimentos simples, porém que deixamos de lado no dia a dia. Adotar políticas para verificar e corrigir os problemas encontrados é uma ótima maneira de controlar a qualidade interna do ar dentro do seu escritório.

Abraços e até a próxima.

Obs. Não deixe de comentar!

Eduardo Straub

Sócio-Proprietário da StraubJunqueira

Consultoria Especializada em Construção Sustentável e Qualidade de Vida, Saúde e Bem-Estar