Conteúdo

Certificações WELL e FITWEL, um breve comparativo

A construção sustentável é uma demanda que além de não parar de crescer, é um caminho de mão única. Empresas que hoje não investem em construção sustentável estão ficando para trás perante a seus concorrentes. Mesmo em tempos de crise, esta foi uma demanda que sempre esteve em pauta e já é ponto comum para o mercado e para os especialistas do setor que sua aplicação é um caminho sem volta, algo quase como que obrigatório para o mercado.

Mas o que mais as empresas estão fazendo para ir além da sustentabilidade? Proprietários, investidores e operadores estão percebendo que não basta somente focar em itens de sustentabilidade mas também dar atenção à saúde humana. Fatores como absenteísmo, presenteísmo, falta de produtividade, despesas médicas, entre outras, muitas vezes representam custos muito maiores às empresas (saiba mais em nosso e-book) do que a economia que elas recebem através de práticas eficiência energética e hídrica, por exemplo. E é exatamente sobre essas preocupações que as Certificações WELL e Fiwel trabalham.

Ambas as certificações concentram esforços em focar no bem-estar, saúde e qualidade de vida dos ocupantes das edificações, indo além dos princípios de sustentabilidade e trazendo, finalmente, as pessoas para o centro de decisões dos projetos, sendo chamadas até de “segunda onda” das certificações de sustentabilidade. Entretanto tratam-se de certificações distintas e que atendem à objetivos diferentes. Eu, sempre entusiasta das certificações, particularmente gosto muito de ambas, pois são excelentes ferramentas para agregar saúde, bem-estar, felicidade e produtividade aos ocupantes das construções. Desta forma, cabe sempre conversar com especialistas para entender qual a certificação faz mais sentido para o seu empreendimento.

A Certificação WELL, a mais conhecida entre elas, é outorgada pelo International Well Building Institute, uma Benefit Corporation, ou seja; tem fins lucrativos mas em cima de um objetivo maior, que é a saúde das pessoas dentro das organizações. Foi lançada em 2015, mas levou 7 anos para ser desenvolvida, se baseando em uma série de evidências científicas de estudos realizados pelas comunidades médica, cientifica e da engenharia. Como parte de seu corpo técnico veio do USGBC (organização que controla a Certificação LEED), sua estrutura é muito semelhante, com 10 áreas de avaliação subdivididas entre 117 itens obrigatórios e pontuáveis (pré-condições e otimizações), além de utilizarem a mesma plataforma de auditoria do LEED; o WELL Online, auditado pelo GBCI. Atualmente a certificação já esta na versão 2 e pode ser aplicada a qualquer tipo de edificação. Um grande diferencial desta certificação é a auditoria inloco, em que o auditor capacitado coleta uma série de amostras de qualidade do ar e da água, além de realizar testesde performance, a fim de comprovar a qualidade dos ambientes. Mas, apesar de ser fundamental, esta verificação inloco, acaba sendo um dos fatores que encarecem a aplicação da Certificação no Brasil. Seus FEES são muito altos, especialmente agora em que nossa moeda esta muito desvalorizada perante ao dólar.

Já a Certificação Fitwel foi Lançada como piloto em 2014 pelo Governo Federal Americano como estratégia de saúde publica preventiva, e é operada pelo The Center for Active Design. Já esta em sua versão 2.1 e possui 55 métricas de projeto e de operação que podem conceder até 144 pontos, subdivididas em 12 seções, que representam 7 categorias de impacto.

O Centro de Projeto Ativo – Center for Active Design (CfAD) é uma organização sem fins lucrativos que trabalha na interseção da saúde e do ambiente construído. Foi lançado pelo prefeito Michael Bloomberg em 2011, para transformar o programa Active Design de Nova York em um movimento internacional. Nos últimos cinco anos se tornou global, alcançando mais de 180 países e recentemente foi selecionado pelo governo federal americano para ser o operador licenciado da Fitwel.

Diferentemente do WELL, a Fitwel tem fees muito mais acessíveis, mas ainda não é aplicável a todas as tipologias de edificações. Possuem guias específicos para edifícios corporativos, escritórios e edifícios residenciais, além de possuirem projetos piloto para varejo e comunidades.

Por serem certificações muito novas, ambas estão passando por constantes ajustes e otimizações. O objetivo deste artigo não é comparar tecnicamente uma e outra, nem entrar no detalhe das áreas de estudo de cada uma delas; que pode ser mérito para um futuro post. Mas deixo abaixo um resumo comparativo da estrutura de cada uma delas, com suas principais diferenças e semelhanças;

FITWEL WELL
Ano de lançamento 2014 2015
Organização Controladora Center for Active Design  – CfAD International Well Building Institute – IWBI
Pré -requisitos obrigatórios Não Sim (23 pré-condições)
Pontuação até 144 até 117
Níveis de Certificado 3 níveis:                               90 a 104 pontos – 1 estrela                                 105 a 124 pontos – 2 estrelas                                125 a 144 pontos – 3 estrelas 3 níveis:                                      50 pontos – Prata                    60 pontos – Ouro                    80 pontos – Platina
Tipologias Edifícios corporativos, escritórios e edifícios residenciais novos ou existentes.                                Atualmente em fase piloto para varejo e comunidades Todas para edificações novas ou existentes.              As que não possuem guias específicos podem ser aplicadas como piloto
Auditoria Documental online Documental online e Inloco
Recertificação Sim, a cada 3 anos Sim, a cada 3 anos
FEES Registro taxa única              U$ 500,00 Registro variável por m2    de U$1.800,00 a U$4.200,00
Certificação – variável por m2 mínimo U$ 5.500,00 para até 4.645m2 máximo U$8.000,00 para até 92.900m2.                              Acima de 100.000m2 valores sob consulta Certificação – variável por m2  mínimo U$ 5.000,00 para até 4.645m máximo U$ 145.000,00 para até 2.900m2.                          Acima de 100.000m2 valores sob consulta            *Obs. Nesses valores não estão incluídos os FEES de auditoria inloco, que chegam a um acréscimo médio de 50% do valor do FEE

Certamente posso afirmar que a Fitwel é tecnicamente mais fácil e exige menos tempo para ser aplicada do que o WELL. Com base nisso, você deve estar se perguntando: “Se a Fitwel é mais fácil e mais barata, por quê eu escolheria a WELL?” Esta também é a pergunta clássica dos meus clientes!

E minha resposta clássica é; depende do que você busca! Depende das condições técnicas de seu projeto – a Fitwel pode parecer mais simples, mas como não tem itens obrigatórios, o projeto precisa de uma quantidade mínima de pontos para se certificar e, muitas vezes eles não são tão simples quanto parecem. Depende também de seus objetivos e expectativas quanto à certificação. Se você busca retorno quanto à imagem e reputação, talvez a WELL faça mais sentido, justamente por ser mais rigorosa, o mercado tende a imaginar que seu nível de esforço e investimento foram maiores, e consequentemente as melhorias em seu projeto também são mais tangíveis. Hoje é bastante representativa quantidade de grandes corporações (listadas em bolsa) e sedes de grandes bancos buscando a Certificação WELL.

A Fitwel pode ser melhor para grandes edifícios existentes, edifícios com multiusuários, empresas cujo o investimento inicial é fator determinante e até edifícios governamentais. Já o WELL pode ser mais adequado para novos projetos, edifícios monousuários ou Core & Shell, interiores comerciais e outras tipologias ainda não abarcadas pelo Fitwel.

Reforço, portanto, que antes de optar entre uma ou outra, levando em consideração somente um fator (por exemplo se pautar pelo valor dos FEES), converse sempre com um consultor especialista. Ele será capaz, com base naquilo que você espera e, melhor ainda, através de um estudo diagnóstico, de indicar qual a certificação é mais interessante ao seu empreendimento, levando em consideração requisitos técnicos e possíveis retornos em reputação, imagem e financeiro.

A StraubJunqueira é uma empresa de consultoria que conta em seu corpo técnico com profissionais Acreditados WELL AP e FITWEL Ambassador, além de ser pioneira na Certificação WELL no Brasil e América Latina.

Por Arq. Luiza Junqueira, WELL AP e Fitwel Ambassador